A moda do GENDER REVEAL

Bolos e cupcakes com interiores misteriosos, balões dentro de caixas, confetis ou explosões de fumo! Vale tudo.⁠

Um gender reveal pode ter variadíssimas formas, mas numa coisa é sempre igual: culmina invariavelmente em azul ou rosa!⁠

Porque é que isto é um assunto?⁠
Porque a partir do momento em que uma vida é gerada e sabemos o sexo da criança… começam as construções de papéis de género para aquele mini-ser que ainda está submerso em líquido amniótico. ⁠

Já nem precisamos de esperar que a criança nasça… é logo ali às 22 semanas que começamos a desenhar os traços gerais do manual de normas de menina ou de menino e definir as primeiras amarras, as primeiras regras – e começa simples assim, com as cores.⁠

Rosa ou azul? ⁠

Finalmente as famílias e amigos/as já podem atirar-se de cabeça para roupinhas e decoração dos quartos, porque obviamente que se for menina vai ser muito rosa, e se for menino vai ser muito azul.⁠

⚡Porque é que é tão importante assim saber o sexo da criança? O que é que muda na prática? ⁠

⚡Atrás do rosa/azul, e das roupinhas, e dos brinquedos, vêm vários estereótipos de género que importam olhar e combater, se pretendemos alcançar um mundo mais justo para as nossas crianças = igualdade de géneros;⁠

⚡ Sabermos o sexo da criança não significa necessariamente sabermos o seu género. O género é algo com que nos identificamos, que não corresponde sempre aos nossos genitais, e não tem só duas formas: rosa ou azul. Tem todo um espectro de cores.⁠

E atenção, eu acho natural querermos saber se vamos ter um filho ou uma filha. Ajuda-nos a tangibilizar e tornar mais real a ideia daquela criança nas nossas vidas. Mas não ficarmos dependentes disso para tomarmos decisões.⁠

Proporcionarmos espaço aos nossos filhos para eles se conhecerem e descobrirem, fazerem uma expressão livre do seu género, de forma saudável e respeitosa, para mim, está acima de qualquer papel de género que nos seja atribuído à nascença.⁠

Acredito em liberdade de expressão, sem expectativas e sem limitações e crenças. Sem certos e errados.⁠

Já pensaram neste assunto? Bora conversar ☺️⁠

Share on facebook
Partilhar no Facebook
Share on twitter
Partilhar no Twitter
Share on linkedin
Partilhar no LinkedIn
Share on whatsapp
Enviar por WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *